Demo

Psicólogo no Tratamento do Câncer

O diagnóstico de câncer é uma experiência de forte impacto emocional, visto que promove no paciente um turbilhão de sentimentos, como medo, revolta, desesperança, tristeza, entre outros. Isto ocorre pelo fato do câncer ser uma doença estigmatizada, que apesar do avanço técnico-científico no tratamento está associada a aspectos negativos como dor, tratamentos invasivos, desfiguramento, mutilação, dependência e mudança de papéis sociais. 

Esse panorama demonstra que o adoecimento é um processo que acomete todas as dimensões do ser humano e não somente a biológica.

Ao atribuirmos à existência humana um caráter pluridimensional (biopsicossocial e espiritual), vale ressaltar que o cuidado contempla todas essas dimensões. Para que se possa oferecer um cuidado integral ao paciente é fundamental uma equipe interdisciplinar, isto é uma equipe composta por especialistas capazes de atuar de forma integrada com o objetivo de compreender o indivíduo em sua totalidade e por conseguinte definir um proposta terapêutica individualizada.

Nesse contexto, o papel do psicólogo é facilitar a comunicação entre paciente, família e equipe, identificando se paciente e família possuem informações e apresentam compreensão acerca do histórico da doença em todas as suas fases (diagnóstico, tratamento, prognóstico); reforçando as informações corretas, substituindo as informações incorretas e prestando novas informações.

A atuação do psicólogo na área da oncologia é muito abrangente. Na assistência ao paciente e família podemos destacar as seguintes práticas:

Oferecer uma escuta acolhedora que permita identificar os mecanismos de defesa que paciente e família utilizam no enfrentamento de cada etapa do adoecimento, buscando minimizar o sofrimento emocional, favorecer postura ativa frente ao tratamento, promover qualidade de vida e dignidade;

Estar atento à comunicação entre paciente, família e equipe, especialmente aos aspectos não verbalizados, com o objetivo de facilitar o processo de tomada de decisões e resoluções de pendências (despedidas, reconciliações, etc);

Promover a autonomia do paciente, garantindo informações claras acerca do processo do adoecimento afim de que o mesmo passa fazer as escolhas que entender necessárias à sua vida.

As possíveis formas de atuação do psicólogo na área Oncológica consistem em: Atendimento psicoterapêutico (individual) paciente, familiar e colaboradores; Grupos psicoterapêuticos para pacientes, familiares e colaboradores; Atendimento em ambulatório e unidade de terapia intensiva; Atendimento em pronto atendimento; Atendimento em enfermarias em geral; Avaliação diagnóstica; Psicodiagnóstico; Interconsulta; Grupos psicoeducativos e Assistência ao luto.

Ressalto que a atuação do psicólogo na área da oncologia possui técnicas específicas tendo como primícia a promoção da qualidade de vida dos sujeitos envolvidos ( pacientes, familiares e profissionais da saúde) criando estratégias que reduzam os agentes estressores causadores de sofrimentos propiciando segurança e conforto nessa caminhada.

 

Simone Waquin Ansarah

Psicóloga e Subcoordenadora do Grupo de Humanização

REDES SOCIAIS

fb   yt